Caleidoscópio de aniversário (Horn 1.1)

O nariz coçava como tantas vezes antes por conta do ar seco e poluído da metrópole paulistana. Estava, como tantas vezes antes, a visitar Macondo, a aldeia de meu velho amigo Gabo que parece ter me envolvido muito profundamente este ano. Em meio às frases ditas pelo gênio colombiano, eu refletia sobre minha própria vida. Havia uma pequena criança que visitava o enterro de um homem desconhecido.

Eu também me sentia dessa forma. Era meu aniversário, mas a vida passava à minha frente como um estranho. Recebia ligações como uma pessoa em um enterro de um desconhecido, a observar um cadáver sereno, da mesma maneira que vemos um cesto de frutas ou um quadro de Panfilo. Apesar de tudo, no fundo, me animava a calmaria pela qual eu passava por todos essas situações, sem me sobressair ou me exaltar.

Macondo já estava prestes a chegar ao fim quando ela me ligou, mais um telefonema em uma noite recheada deles. Esse havia o diferencial de ser uma chamada local. Outra diferença evidente é que esse telefonema era para mim, e não para o ilustre e nômade aniversariante do dia.

E como disse uma vez um poeta mineiro, quando, ao rubor dos incêndios que consumiam a terra, outra chama, não perceptível, e tão mais devastadora, surdamente lavrava sob meus traços cômicos, anônima e imperceptível a princípio, como o bote de uma serpente escondida no arrozal.

Eu a encontrei.

E depois de momentos de honestidade brutal, que tantas vezes beiram o constrangimento, me vi te vendo mais uma vez como alguém que reencontra um velho amigo. A noite foi longa e flertou com pensamentos juvenis há tanto tempo dormentes no corpo nômade e abjeto. O frio na barriga e as mensagens de partida me remeteram há tantos momentos simbólicos e incólumes no meu âmago.

Era o fim da noite, e talvez o fim de tantas coisas que há muito me angustiavam, ou o começo delas. Estes ciclos têm dessas estranhezas, onde o términos e os inícios se encontram como  caleidoscópio colorido sem direção ou sentido, amorfos e vibrantes em um horizonte de novas expectativas.

Advertisements

~ por Olethros em 13/08/2014.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: