Sobre locomotivas e girassóis

O barulho recomeçava subitamente, lá fora uma grossa chuva parecia começar um coral com todas as coisas, do suave correr das águas nas folhas das árvores e na grama, até o incessante pingar nas janelas de vidro do sótão. A explosão súbita de sons era reconfortante e trazia alegria para a velha senhora na cadeira de balanço.

A senhora Margarida esticou seus cotovelos, ajustou a manta sob o seu corpo e prosseguiu para segurar firmemente a xícara de chá quente em suas mãos. O vapor de camomila a ajudava a abrir suas narinas e embaçar seus óculos. As memórias ainda viam vívidas, foi em um dia como aquele que ela conheceu Jorge, que para fugir da chuva decidiu se proteger na varanda da velha casa de veraneio em Rio das Ostras.

Ela poderia descrever todos os detalhes daquele primeiro momento em que se viram sobre o derramar das águas de janeiro. O macacão cinza sujo de graxa no joelho esquerdo, os contornos queimados de sol que compunham um sorriso, ligeiramente escondido por um boné surrado. As manchas curiosamente simétricas no batente da porta e o palpitar forte de um peito adormecido por uma morte que veio antes do esperado.

A lembrança lhe era triste e bela, dois conceitos que pareciam não conseguir fugir um do outro, como se tivessem nascido siameses. Toda beleza é inerentemente triste, é a contemplação de que todos vamos morrer que torna a beleza possível. É o que nos faz se apegar as coisas. Cada momento efêmero da vida, e que em um piscar de olhos passa a fazer parte do passado, se transforma em memória.

De repente vivemos o sublime momento de beleza, mas porque só o temos por um segundo toda beleza se torna triste, e a tristeza acaba se configurando como uma das coisas mais belas do mundo. Sem tristeza não se faz poesia e samba, não existe a memória do macacão sujo de graxa no joelho esquerdo e nem a melodia dos pingos de chuva na janela.

Nota do Autor: O título é inspirado pelo autor que me trouxe essa reflexão original, o poeta americano Allen Gisnberg em seu poema Sunflower

Advertisements

~ por Olethros em 23/04/2014.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: