Ode a Saturno

No início, havia apenas a vossa presença
aguardando, tu eras o Aeon imerso ao caos.
Quando tua dança se iniciou ela criou o sentido,
ela semeou o cosmo e o fez florescer,
e tu observavas a tudo, como um lavrador.

E embora foste o pai de todos nós,
sempre o tememos, pois no fim
só nos restará retornar ao vosso ventre,
quando a prata cobrir nossas têmporas
e nossa casca mortal definhar.
Pois és conhecido como o devorador de crias.

Mas em certo momento (que são todos seus)
Ocorreu , assim postulamos, justiça.
Quando lhe foi entregue a pedra Omphalos,
E teu filho, aquele que sobreviveu a vossa fome,
O novo Rei que iludido o jogou no tártaro.
Como foi vã tal tentativa, pois não há como prende-lo.
Tua marcha é irreversível e disciplinada,
E a tudo supera, escavando as montanhas,
Separando continentes e destruindo reinos.

Somos teus dançarinos,
Nossa vida vive ao ritmo de tua melodia,
E tu, na escuridão de vossa cela,
Se regojiza com o bailar de teus títeres,
E nós cientes de vossa grandeza construímos a tudo por ti.

Hoje, oh vigia, muitos pensam que o dominam
E cobram e ganham através de sua dádiva,
Não compreendem que tua presença está em tudo
E que não somos nada senão o teu fruto.
Tu que foste o primeiro,
Vagarás em um alento solitário no findar.

Nota: Não gosto de escrever poesia… não sei por que… já gostei um dia e essa foi a minha última alguns anos atrás. Queria falar sobre o tempo, mas juntar no poema grande parte da minha especialização em mitologia grega. Acabou pipocando nele algumas coisas bem especificas sobre crono, o que eu acho, reestringe um pouco o número de pessoas que pode vir a gostar dele.

Me sinto envergonhado de publicar um poema. Mas sei que Nove Caudas foi longo, e que o poema é uma leitura mais rápida.

Anúncios

~ por Olethros em 04/01/2009.

2 Respostas to “Ode a Saturno”

  1. Eu, particularmente, não sou fã de poesia. Nem de ler, nem de escrever.

    Exceto a poesia épica. Coisas mitológicas, estórias sobre os deuses semrpre me encantaram. Tanto que eu até comecei um projeto de sátiras mitológicas e espero ter o ânimo pra continuar. Então, nada tão legal quanto ver um poema que fale sobre o tempo – tema tão batido e rebatido –

  2. é… mas ele foi escrito para um concurso onde o tema era escrever uma poesia sobre o tempo… virou um poema sobre Cronos, mas não deixa de estar funcionando.. rs

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: