Natal

Os Reis contemporâneos, ao contrário dos Presidentes das Repúblicas não podem comemorar o natal em tempos de estado laico. Portanto no dia vinte e quatro e vinte e cinco de Dezembro são os únicos feriados do ano onde não são concedidas folgas no palácio, já que é o dia em que o Rei, para fugir das más línguas revolucionárias sedentas pela guilhotina, se tranca em seu gabinete e trabalha mais do que trabalhou durante o ano inteiro. Os ministros do palácio, muito confusos, não entendem o por que, mas todo final de ano se sentem um pouco mais esquerdistas.

Nas cadeias, os revolucionários também não comemoram o natal, mas suspiram melancólicos: ainda não foi esse ano que a pobre guilhotina pode beber do vinho Real.

PS: Acabei de ganhar um livro do Cortázar de meu semi-sogro e amo sua forma de escrever.

Anúncios

~ por Olethros em 24/12/2008.

3 Respostas to “Natal”

  1. Sim, Cortázar é muito bom. O mais engraçado dos textos dele, porém, é que na língua original eles ficam piores, não sei se é só implicância, mas eles realmente parecem perder a fluidez.

    O texto ficou bastante divertido, por sinal. Adorei os revolucionários.

    Beijos,

  2. Ah, preciso ler Cortázar. Há tempos que namoro os livros dele nas livrarias mas não compro.

    Sobre o texto de baixo, bem, acho que não preciso dizer que o tema me fascina absurdamente. Se puder, vou trabalhar com isso. Eu já tinha lido esse texto há tempos, na sua casa, mas foi bom relê-lo agora com mais calma.

    E as indicações que você tinha me pedido, dê uma olhada no Infinito Público, que está nos meus favoritos (gosto muito de todos eles, mas o Infinito é o melhor). A Jana já virou minha amiga, e eu casaria com os textos dela, hahaha.

    Muito bom tê-lo por aqui também, mas ainda melhor é tê-lo nos meus favoritos não só pela amizade, mas pela qualidade da escrita. Muito bom, muito bom.

    Abraços.

  3. Obrigado pelos comentários gentis.
    Cortazar, que inspirou levemente esta pequena mentira, pode ser encontrado comigo quando quiser, é só marcarmos que te empresto.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: